terça-feira, 31 de agosto de 2010

Kim Jong Il faz visita oficial à China


Pyongyang, 30 ago (KCNA) - O líder Kim Jong Il, secretário-geral do Partido dos Trabalhadores da Coreia e presidente da Comissão de Defesa Nacional da República Popular Democrática da Coreia, realizou de 26 a 30 de agosto uma visita oficial a República Popular da China para atendendo convite do secretário-geral do Comitê Central do Partido Comunista da China e presidente da República da China, Hu Jintao.

Ele foi acompanhado por Kim Yong Chun, vice-presidente do NSC da RPDC e ministro das Forças Armadas Populares, Kim Ki Nam, secretário do CC WPK, Jong Thae Su, chefe do departamento do CC do WPK, Sok Kang Ju, Primeiro Vice-Ministro dos Negócios Estrangeiros Exteriores, Song Jang Thaek, Hong Sok Hyong, Kim Yong Il e Kim Yang Gon, chefes de departamento do Comité das WPK, Choe Hae Ryong, secretário da comissão responsável pela PTC em Hwanghae Norte Province, Kim Hae Phyongan, secretário responsável Comite das WPK na província de North Phyongan-an, e Pak Chun, secretário da comissão responsável pela PTC, na província de Jagang.

Os líderes do partido e do Estado da China deram calorosas boas-vindas ao líder Kim Jong Il que voltou a visitar o país e tratou a todos com toda a sinceridade.

O dirigente reuniu-se no dia 27 na cidade de Changchun com o presidente Hu Jintao e conversou cordialmente com ele.

Participou representando a China, Ling Jihua, membro do Secretariado e diretor do Instituto-Geral do Comitê Central do PCC, Dai Bingguo, conselheiro de Estado, Wang Jiarui, chefe do Departamento de Ligação Internacional do Comitê Central do PCC, Yang Jiechi, Ministro das Relações Exteriores, Zhang Ping, ministro encarregado da Comissão de Desenvolvimento Nacional e Reforma Chen Deming, ministro do Comércio; Liu, vice-chefe do Departamento de Ligação Internacional Comitê Central do PCC e embaixador chinês na Coreia, Liu Hongcai.

Em nome do partido, governo e povo da China, Hu Jintao promoveu uma recepção calorosa ao líder Kim Jong Il em sua visita à China e disse que a visita do líder às províncias de Jilin e Heilongjiang, onde lançou as raízes históricas da amizade China-Coreia em meio da luta conjunta contra os agressores estrangeiros, é particularmente importante para realizar um estágio superior das relações tradicionais de amizade e cooperação entre os dois países.

Kim Jong Il retorna à China após quatro meses desde sua última visita em maio, e isso mostra claramente que atribui grande importância à amizade tradicional China-Coreia, construida pelos líderes e veterano da geração de dois países. Hu Jintao disse que valoriza muito a contribuição do líder para o desenvolvimento da amizade bilateral.

O líder disse que estava feliz por se encontrar novamente com o Secretário-Geral Hu Jintao, após 4 meses, e disse estar profundamente agradecido pela bonade e hospitalidade com que foi distinguido depois de realizar a longa viagem até Changchun, embora estivesse muito ocupado.

Os líderes dos dois partidos e dois países conversaram com muita camaradagem, sinceridade e simpatia, analisando a situação em seus respectivos países, e trocaram pontos de vista com franqueza sobre o desenvolvimento das relações entre as duas partes e dois países entre outros problemas importantes internacionais e regionais de interesse mútuo, e se chegou a um acordo geral.

Hu Jintao disse que a tradicional amizade China-Coreia é uma valiosa riqueza de ambos os povos e países para levar a cabo com o tempo e transmiti-la de geração em geração a responsabilidade histórica de ambas as partes, e acrescentou que o reforço das relações de amizade e de cooperação China-Coreia é a invariável orientação do partido e do governo da China.

Em todo o nordeste chinês existem pegadas indeléveis registrados do líder revolucionário Presidente Kim Il Sung, através de sua longa luta na realização da independência da Coreia, e ele também fez uma grande contribuição para a vitória da revolução chinesa, lembrou.

Para reforçar a cooperação China-Coreia deve-se promover uma melhor construção do socialismo em ambos os países, para defender e promover os interesses comuns de paz, estabilidade e prosperidade na região, observou.

A parte chinesa quer realmente defender e desenvolver em conjunto com a RPDC relações amistosas e cooperação entre os dois países, disse, e expressou o desejo de injetar mais vitalidade e dinamismo na tradicional amizade sino-coreana, promover e desenvolver mais profundidade as relações de boa vizinhança e cooperação entre os dois países, garantindo assim a maior felicidade para os dois países e dois povos, e uma maior contribuição para a paz, estabilidade, prosperidade e desenvolvimento no nordeste da Ásia e no resto o mundo.

Kim Jong Il salientou que a amizade China-Coreia vem de longa tradição, que passou no teste da história, não pode ser mudada por mais que passem os tempos e as gerações se sucedam, e voltou a expor o invariável vontade e decisão do partido e governo coreano para desenvolver relações de amizade e cooperação China-Coreia.

A região nordeste da China é uma região inesquecível onde o presidente Kim Il Sung conduziu a luta revolucionária árdua por mais de 20 anos junto com o povo chinês, bebendo dessa água e respirando o ar dessa área, disse as paisagens sempre estiveram presentes na memória do Presidente, as montanhas e planícies amadas desta região, e os camaradas chineses com quem ele lutou.

Nesta visita fiquei realmente impressionado ao ver o progresso e desenvolvimento do nordeste chinês, as mudanças com o passar dos dias, e enfatizou o líder que estas mudanças indicam indicou que estas mudanças comprovam a regularidade e vitalidade da estratégia para avançar nesta região, apresentado pelo partido e pelo governo da China.

Nas discussões foi avaliado que foram promovidos e desenvolvidos ideal socialista, mas de acordo com as relações de amizade e cooperação entre as duas partes e dois países após a Cimeira China-Coreia, realizada em várias ocasiões nos últimos anos e foram expressos de apoio mútuo e firme solidariedade com a luta dos dois partidos e dois povos na construção do socialismo e da reunificação da pátria.

Hu Jintao elogiou as medidas activas de Coreia tomadas para defender a estabilidade, desenvolver a economia e melhorar a vida das pessoas e eu espero sinceramente que o povo coreano maior sucesso em causa da construção do Estado, sob a liderança do WPK liderado por General Kim Jong Il secretário.

Expressar o apoio ao partido e ao povo da Coreia para manter a direção do desenvolvimento do socialismo e os camaradas coreano para explorar a estrada de desenvolvimento de acordo com a realidade de seu país. E manifestou a convicção de que sob a orientação de Kim Jong Il, todo o Partido e de todo o país, sem deixar novos sucessos alcançados na luta para chegar à causa da construção de um Estado próspero através do reforço da unidade e luta tenaz.

Os líderes expressaram confiança de que, sob a liderança do CPC chefiada pelo Secretário-Geral Hu Jintao, o povo chinês sempre alcançar uma nova vitória no processo histórico de fortalecimento do poder do partido, pôr em prática a concepção de desenvolvimento científico e construir uma sociedade harmoniosa.

Ambas as partes trocaram pontos de vista de uma forma sincera sobre as questões internacionais e regionais de interesse mútuo, nomeadamente sobre a situação no nordeste da Ásia, e chegou a identidade completa dos critérios.

Hu Jintao, ofereceu na noite de 27 no Estado Guest House Nanhu Changchun City um banquete formal de boas-vindas ao líder.

Juntamente com o Líder, foram convidados para a recepção Kim Yong Chun, Kim Ki Nam, Thae Jong Su, Kang Sok Ju, Jang Song Thaek, Sok Hong Hyong, Kim Yong Il, Kim Yang Gon, Choe Hae Ryong Kim Hae Phyongan, Pak Chun e outros companheiros, assim como o embaixador da Coréia do Norte da China, Choe Pyong Gwan.

Também estiveram presentes Ling Jihua, membro do Secretariado e diretor do Escritório Geral do Comitê Central do CPC, Dai Bingguo, conselheiro de Estado, Wang Jiarui, chefe do Departamento de Ligação Internacional Comitê Central do PCC, Yang Jiechi, ministro das Relações Exteriores; Zhang Ping, ministro encarregado da Comissão de Desenvolvimento Nacional e Reforma da Comissão, Chen Deming, ministro do Comércio, Liu Zhijun, ministro das Ferrovias, Liu, vice-chefe da Ligação Departamento Internacional do Comitê Central do PCC, e Hongcai Liu, Embaixador da República Popular da China na RPDC, Sun Zhengcai, secretário do Comitê do CPC província de Jilin, Wang Yulin, governador do Governo Popular da Província de Jilin, Gao Guangbin, secretário do Comitê do CPC Changchun City, e outras tabelas no centro e localidades.

Na ocasião fizeram uso da palavra Hu Jintao e Kim Jong Il.

No mesmo dia, no teatro da Casa Estatal de Hoespedes de Nanhu foi apresentada uma função artísticas especialmente preparadas por artistas chineses, a fim de saudar o líder que se divertir na companhia de Hu Jintao.

Os dirigentes enviaram uma cesta de flores para felicitar o sucesso dos artistas durante a apresentação.


O Secretário-Geral Hu Jintao trocou cordial despedida com Kim Jong Il


Durante cinco dias, o líder percorreu várias cidades na província chinesa de Jilin e Heilongjiang, onde os habitantes deram-lhe uma recepção calorosa e sincera.

O dirigente visitou a cidade de Jilin, um dos locais relacionados com as atividades revolucionárias do Presidente Kim Il Sung.

Na Estação Ferroviária, em Jilin, o líder foi recebido pelos quadros do centro e localidades como Dai, Jiarui Wang, Liu Zhijun, Hongcai Liu, Zhengcai Sun, e Weig Chen, vice-governador do Governo Popular da Província de Jilin.


O dirigente conversou cordialmente com Dai Bingguo


Dai Bingguo salientou que o Secretário-Geral Hu Jintau atribui grande importância à amizade China-Coreia. Ele enviou-me para dar as boas-vindas a Jilin, especialmente ao secretário-geral Kim Jong Il e felicito vivamente o líder em sua visita à China, em nome do do camarada Hu Jintao e do Comitê Central do CPC e Conselho de Estado da República Popular da China.

Faço notar que esta visita à China do Secretário-Geral Kim Jong Il é um evento histórico é gravado em letras douradas no fortalecimento e desenvolvimento da amizade China-Coreia e quero enfatizar que o povo chinês se regozijam com sinceridade e felicitado por muitos sucessos que sob a orientação do líder, o povo coreano conquista na realização da causa da construção da grande nação próspera em vários outros domínios.

Faço notar que o coletivo da direção central, incluindo o Secretário-Geral Hu Jintao consideram de grande importância para a amizade China-Coreia e retornou para expor a posição inabalável do partido e do governo da China em consolidar progressivamente a tradicional amizade e as relações de cooperação entre os dois países.


Guiado por Dai Bingguo e outros dirigentes do centro e das localidades, o líder viajou a vários lugares na cidade de Jilin.

Primeiramente o líder visitou Escola Secundária Yuwen de Jilin, onde o Presidente tinha estudado nos anos 1927-1929.

Chegando à escola recebem a acolhida calorosa do corpo docente, funcionários e alunos, o líder rendeu homenagem sublime ao presidente depois de lançar a sua estátua de bronze e depositar uma cesta de flores, e caminhou pela escola para veridicar a conservação do seu estado original.

Vendo com reverência a mesa, cadeira e outros objetos históricos que acompanharam os passos do Presidente em seus dias de escola hà mais de 80 anos atrás, não poderia deixar de sentir emoções de respeito.

Durante a visita do líder à escola, o coro dos alunos cantou a "Canção do General Kim Il Sung" com o sentimento de reverência infinito ao presidente Kim Il Sung, o grande homem sem igual.

No final de seu percurso, o líder deixou ao corpo docente o seu autógrafo com as seguintes palavras: "Desejo que forme a mucho mas funcionarios competentes la Escuela
Secundaria Yuwen forme muitos funcionários competentes, pois é um simbolo da amizade Corea-China, com larga tradição e história. Em 26 de agosto de 2010. Kim Jong Il".

O diretora da escola, He Manli, falou que todos aguardavam a visita do lider Kim Jong Il para reforçar a amizade China-Coreia, e que esta visita é motivo de maior glória e orgulho, e também de encorajamento espiritual precioso para eles, expressou a sua determinação de beneficiar a geração na amizade China-Coreia, e desejou boa saúde ao líder.

O líder visitou o templo Yaowangmiao en el Parque Beishan, um dos lugares secretos que o presidente frequentemente utilizava em suas primeiras atividades revolucionárias.

Depois de ouvir a explicação das atividades revolucionárias do presidente no templo, o líder caminhou até o porão onde o presidente realizava as reuniões secretas nos principais edifícios do templo.

O dirigente expressou profunda gratidão por aquilo que o Partido, governo e povo da China preservou dos objetos históricos do Presidente, dando-lhes muita atenção.

Em seguida, o líder visitou o Grupo de Fibra Quimica de Jilin que produz várias fibras sintéticas no histórico edifício da Igreja Católica na cidade de Jilin, e viu as transformações da cidade.

O líder afirmou que Jilin era o lugar onde tinha vivido antes e acrescentou que, desta vez, retornando a visita foi muito animador e sentiu muita alegria ao visitar a localidade.


Dai Bingguo ofereceu um banquete em honra do líder

O líder recebeu as sinceras homenagens da cidade de Jilin.

Ele visitou a cidade de Changchun, capital da província de Jilin.

Foi recebido por Sun Zhengcai, Wang Yulin, Guangbin Gao, Jie Cui e outros quadros do partido e do governo da província e da cidade.


O dirigente conversou cordialmente com a Sun Zhengcai.

Sun Zhengcai assinalou que a visita do líder à província de Jilin, onde ser conservam os objetos do líder revolucionário Presidente Kim Il Sung, grande amigo do povo chinês, é uma grande honra e alegria para a província e felicitou vivamente a visita histórica do líder.

Ele acrescentou que esta visita à China do Secretário-Geral Kim Jong Il é outro evento que tem importância histórica no desenvolvimento das relações entre os dois países e expressou profunda homenagem mais que o líder que faz grandes esforços para fortalecer e desenvolvimento de amizade China-Coreia.

Sun Zhengcai apreciamos os êxitos alcançados pelo povo coreano na luta para abrir as portas para o poderoso próspera nação grande e explicar o estado de desenvolvimento da província de Jilin.

Guiado pelas imagens da província e na companhia dos quadros do centro, o líder visitaram a Exposição Agropecuária da Sociedade de Changchun e treinadores Changchun e ver a visão noturna da cidade de Changchun.

O altamente avaliados os grandes sucessos alcançados pela Província de Jilin e Changchun City, em rápido desenvolvimento, sob a liderança do PCC.

Para acolher a visita do líder da província, o Comité do PCC na província ofereceu um grande banquete e fez-lhe um presente.

Kim Jong-il visitou a cidade de Harbin, capital da província de Heilongjiang.

Nós recebemos na estação do secretário de Harbin Comité do PCC na província, Ji Bingxuan, governador interino da província, Wang Xiankui, e outros quadros do partido e do governo da província e da cidade.


O líder manteve conversações cordiais com Ji Bingxuan.

Ji Bingxuan disse que era uma grande alegria da sua província para que o líder nesta província no extremo norte do Nordeste da China e deu as boas vindas em nome de todos os residentes da província.

Continuou a que os habitantes da província são satisfeitos todos os sucessos alcançados pelos coreanos pessoas irmãs na revolução e na construção sob a liderança de Kim Jong Il, considerando-se como eles e desejo-lhe o maior sucesso na construção do grande poderosa nação socialista próspera.

Os líderes expressaram gratidão aos dirigentes e ao povo da província de Heilongjiang pela bondade sincera.

Sob a orientação de Dai Bingguo e outros quadros de escolta do centro e altos funcionários da província e da cidade, o líder viajou Huijiang e visitou a Companhia de Alimentos Huijiang de Harbin, e o Grupo Electrico de Harbin.

Os líderes enfatizaram que, graças ao esforço criativo dos trabalhadores e outros trabalhadores nesta cidade, a cidade de Harbin torna-se cada dia mais moderno e felicitar os seus sucessos do trabalho.

O Comitê da Província de Heilongjiang CPC ofereceu um banquete de despedida solene em homenagem ao líder, qao término de sua visita à China.


O líder recebeu a calorosa saudação e de despedida de Dai Bingguo e de altos executivos da província.

Viajando pelo nordeste da China milhares Ries (Ries equivalente a 10 4 km), o líder é cheio de idiossincrasias profundamente inteligente e laborioso povo chinês de todos os campos como economia e cultura.

Receber cordial despedida de Jiarui Wang e Liu Zhijun, que conduziu com toda a sinceridade do líder durante a visita, e outros quadros do partido e do governo da China, Kim Jong Il chegou seguramente à pátria .

A visita extra-oficial do dirigente da República Popular da China culminou com sucesso em meio a uma atenção especial e hospitalidade de Hu Jintao, do partido eo governo da China.

A liderança ficou satisfeito com o resultado da sua visita e expressou seu sincero agradecimento pela gentileza cuidadosa dos quadros do partido e do governo chinês e do povo do nordeste da China.

Esta visita histórica do líder do RPC ficou gravada em letras douradas nos anais da amizade China-Coreia, como um acontecimento de grande importância para consolidar a amizade tradicional bilateral que se desenvolve e se torna cada dia mais favorável.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

A importância da orientação “Songun” para a Coréia do Norte


Neste mês de agosto de 2010 se comemora na República Democrática Popular da Coréia 55 anos da libertação da Nação do jugo militar japonês. Foram 15 anos de luta anti-imperialista. Esta grande tarefa foi obra do povo coreano sob a direção do Exército Popular da Coréia, organização criada em 25 de abril de 1932 pelo líder Kim Il Sung (1912-1994). No dia 25 de agosto de 1960, o atual dirigente Kim Jong Il assumiu suas responsabilidades de direção mediante a orientação política de priorização militar, chamada de “Songun”, quando visitou a divisão de tanques 105 do Exército Popular da Coréia. As contingências impostas pela Guerra Fria e o cerco imposto pelo imperialismo norte-americano fizeram com que a questão da defesa nacional se tornasse o problema central da luta pela soberania em território coreano.

É importante destacar que logo após a vitória sobre o imperialismo japonês em fevereiro de 1947 – com base nas vitórias das primeiras eleições democráticas realizadas na parte norte da Coréia -- foi estabelecido o Comitê Popular da Coréia do Norte, a primeira representação institucional popular na história do país. Kim Il Sung, que foi eleito presidente nesta oportunidade, propôs a retirada simultânea das tropas soviéticas e norte-americanas da península da Coréia. Os Estados Unidos reagiram e instrumentalizaram o Conselho de Segurança da ONU para manter a ocupação da Coréia do Sul. Frente a esta nova situação, Kim Il Sung promoveu uma reunião em 1948 para consultar os líderes de organizações sociais e políticas da Península coreana propondo a urgente proclamação da República Democrática Popular da Coréia, como forma de manter a independência nacional e impedir a divisão do país.

Em 25 de agosto de 1948 houve eleições para a Assembléia Suprema do Povo com uma participação de 99,97% do eleitorado na parte norte da península e com 77,52% dos eleitores da parte sul, afetada pelas pressões e restrições de forças reacionárias. Ao final, foram eleitos 572 representantes do povo de ambas as Coréias, do Norte e do Sul. Em setembro deste mesmo ano de 1948 transcorreu a primeira sessão da Assembléia Suprema do Povo, em Pyongyang, quando Kim Il Sung foi eleito Presidente do Conselho de Ministros e Chefe de Estado da República Democrática Popular da Coréia. Neste mesmo mês também foi proclamada a fundação da República. Os EUA então embarcaram numa aventura militar capitaneada pelo comandante militar americano na Á sia, o general Mac Arthur, que em 1953 foi o responsável ao lado do então presidente americano Eisenhower pela histórica primeira derrota americana após o fim da segunda Guerra Mundial. Neste ano foi assinado o armistício pelo qual os EUA reconheceram a vitória do povo coreano na chamada Guerra da Coréia e no qual a Coréia do Norte salvaguardou a soberania e a dignidade da Nação.

Graças ao heroísmo e determinação do povo coreano, à direção correta do Exército Popular da Coréia, ao apoio de voluntários do Exército de Libertação da China e de manifestações de repúdio ao imperialismo norte-americano ocorridas em todo o mundo, inclusive no Brasil, os EUA foram derrotados. Nesta guerra a política de “Songun” foi fundamental para o enfrentamento político e ideológico dos invasores inimigos que tentavam recolonizar a Coréia. Desde estes fatos ocorridos no início da década de 50 do século passado até hoje, a RDP da Coréia vem se desenvolvendo, enfrentando as limitações impostas pelo imperialismo e as provocações do governo pró-americano da Coréia do Sul. A última delas foi o afundamento da canhoneira Cheonan por parte de agentes do serviço secreto americano e sul-coreano no Mar Amarelo. Com este argumento o comando americano no Pacífico organiza exercícios navais na região do Mar do Japão para intimidar a RDP da Coréia, que por sua vez tem rechaçado estas provocações e ao mesmo tempo vem se preparando para responder todas as investidas que por ventura os governos dos EUA e da Coréia do Sul possam cometer contra a soberania nacional

Pedro Oliveira

sábado, 14 de agosto de 2010

Kim Jong Il, direção mediante Songun


No dia 25 de agosto de 1960, o dirigente Kim Jong Il começou sua direção mediante Songun (priorização militar) visitando a divisão dos tanques 105 guarda “Seul” Ryu Kyong Su do Exército Popular da Coreia, o que viria ocupar um grande capítulo da história da revolução coreana

Esta se iniciou pelo fundador da Coreia socialista, o presidente Kim Il Sung (1912-1994). No princípio das suas atividades revolucionárias para resgatar o país da ocupação militar (1905-1945) do imperialismo japonês formulou, junto com a ideia Juche, a do Songun, fundou no dia 25 de Abril de 1932 ao Exército Revolucionário Popular da Coréia (antecedente do Exército Popular da Coreia) e depois de 15 anos da luta armada anti-japonêsa libertou a nação, em agosto de 1945. Continuando sua linha de apreciar o rifle, os assuntos militares, deu na guerra coreana(1950-1953) para EUA que a desatou vangloriando-se da sua “supremacia” mundial, as primeiras e vergonhosas derrotas na sua história e salvaguardou honrosamente a soberania e a dignidade da sua nação.

Quem sentiu imperiosamente, mais do que ninguém, a verdade de que sobre o rifle descansam o destino da nação e a paz, foi o Dirigente Kim Jong Il, que nasceu num acampamento da guerrilha e cresceu no fragor dos combates durante a luta armada anti-japonêsa e cultivou inteligência e espírito de eminente general à mesa de operação do Comando Supremo durante a guerra coreana. Assim foi como fez aquela visita oferecendo uma garantia decisiva à continuidade da história e a tradição da causa revolucionária de Songun.

Graças a sua direção, o Exército Popular da Coreia se reforçou invencível. Para seu reforço, o Dirigente prestou especial atenção a sua preparação política e ideológica. Implantando um firme sistema de direção do Partido do Trabalho, sobre ele consolidou a base da política de Songun,implementando e materializando o programa de identificação de todo o Exército com a idéia Juche fortaleceu marcadamente seu poderio político e ideológico. Como resultado, isto tem sido um forte exército de ideologia e de fé, guiados pelo espírito para defender até a morte o líder e está exposto a qualquer perigo, sem hesitação para a pátria e o povo.

Também fortalecer o Exército no militar-técnico é a estratégia imóvel do Dirigente para prepará-lo firmemente. De longa data, atribuindo grande importância para alcançar este objetivo, veio adotando sucessivamente as medidas para armar o Exército com estratégias e táticas apropriadas às exigências da guerra moderna e às condiçes topográficas e geográficas e, intensificar sua preparação técnico-militar. Por isso, todos os membros do Exército, de oficiais a soldados, foram preparados extensivamente no técnico e físico, e todos os seus ramos e armas tiveram artefatos modernos de alta capacidade de golpe e mobilidade. Ante a esses equipamentos técnicos, além dos originais metodos da guerra, não podem também fazer efeito os ataques aéreos, golpes a distância e guerra eletrônica de que se vangloria Norteamérica. A Coreia tem, inclusive, poderosas forças de dissuasão contra a guerra, que podem combater as tentativas de qualquer inimigo forte.

O dirigente Kim Jong Il, com sua orientação mediante Songun, dirigiu a Coreia socialista pela rua da vitória. Neste curso, os anos 90 do século passado têm especial importância. Com o colapso dos países socialistas, a ofensiva anti-socialista do imperialismo se concentrou na Coreia. Nesta situação, o Dirigente coreano formulou o princípio do Songun de que o Exército significa o Partido, o Estado e o povo e definiu a política de Songun como a principal modalidade da política socialista. O exército é responsável, além da defesa nacional, pela execução das tarefas mais importantes e difíceis da construção econômica socialista. O forte e nobre espírito da luta que os militares demostram serve de modelo ideológico-espiritual para todo o povo. Com essa potencialidade, o Exército e o povo da Coreia se impuseram sobre a ofensiva que a autodeniminada “única superpotência” mundial implanta para pressionar-nos, e defende sua soberania, sua dignidade, seu socialismo. Hoje, produz um novo e grande auge revolucionário para deixar aberta totalmente a porta da grande potência próspera socialista até 2010 em que se cumpre o centenário do Presidente Kim Il Sung.

Sob a liderança do Dirigente Kim Jong Il mediante Songun, a Coreia socialista irá de vitória em vitória.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Assine a petição internacional pela retirada das tropas estrangeiras da Península Coreana


Movimentos internacionais de solidariedade à República Popular Democrática da Coreia estão fazendo uma petição pela retirada das tropas estrangeiras da Península Coreana, e condenação dos exercícios militares dos Estados Unidos da América e Coréia do Sul, chamados hipocritamente de “Guardiões da Liberdade de Ulji”, com a desculpa do incidente fabricado do afundamento do barco Cheonan.
Estes exercícios militares são provocações baratas para tentar intimidar a RPD da Coreia, ameaçam a paz na região e buscam transformar o país em uma colônia submissa do império (como acontece com a Coréia do Sul).
A RPD da Coreia é uma nação soberana, independente, pátria de trabalhadores socialistas, e como tal jamais se dobrará aos interesses criminosos dos imperialistas norte-americanos e do governo traidor de Seul.
Assine a petição no site www.petitiononline.com/ufg2010/petition.html

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

65º aniversario de la Liberación de la RPD de Corea


Informe del Comité Coreano por la Solidaridad con los Pueblos del Mundo

Reciban un saludo caluroso del Comité Coreano por la Solidaridad con los Pueblos del Mundo.
Pronto el pueblo coreano acoge el 65º aniversario de la Liberación de la Patria.
El día 15 de agosto es el de renacimiento de la nación coreana liberada de la esclavitud colonial y la bifurcación de la historia por lo cual el pueblo coreano pudo iniciar un nuevo desarrollo.
Pero, la alegría del pueblo coreano no duró mucho. Él se vio obligado a padecer la división de la patria y la desintegración nacional.
El día 8 de septiembre de 1945 cuando aún no pasó un mes, EE.UU. enmascarado de “libertador” ocupó militarmente la parte sur de Corea llevó a la práctica la administración militar para reprimir la lucha justa del pueblo surcoreano por establecer el gobierno democrático.
Por lo cual, se creó una situación grave que separara eternamente en dos el pueblo coreano quien había venido viviendo como una nación homogénea en un territorio y creando una larga historia de 5 milenios y la brillante cultura.
Frente a la situación dada, el Presidente Kim Il Sung dedicó todo lo suyo para construir en este territorio un país poderoso y próspero de una nación desde el primer día de la liberación de la patria, lo cual era su deseo de toda su vida.
El Presidente presentó los Tres principios para la Reunificación de la Patria, los cuales son la soberanía, la paz y la unidad nacional, y la Propuesta de la Fundación de la República Federal Democrática de Coryo para abrir una nueva fase trascendental para la reunificación. Y hasta el último día de su vida se dio en cuerpo y alma a la reunificación.
En pleno acato de la noble idea del Presidente, el Dirigente Kim Jong Il consagra toda su energía a anticipar el día en que toda la nación coreana disfrute la felicidad en el país reunificado y próspero.
Él publicó las Tres Cartas para la Reunificación de la Patria y la Declaración Conjunta entre el Norte y el Sur del 15 de Junio para frustrar categóricamente las maniobras de todas las fuerzas divisionistas y de este modo dirige a la victoria la causa de la reunificación de la patria.
Por su destacada y probada dirección, el pueblo coreano acogerá sin falta el día de la reunificación.
Queridos amigos.
Hoy en día, toda la nación coreana despliega la dinámica lucha por la reunificación de la patria bajo la bandera de “Entre nosotros, connacionales”. Pero ha sido tropezada con un obstáculo severo.
Las autoridades surcoreanas persiguen la confrontación anacrónica y la sumisión a las fuerzas foráneas dando sus espaldas al deseo de la nación. Ellas han confabulado un complot de gran tamaño especial contra la RPDC como el caso de hundimiento de la corbeta “Cheonan”. Aprovechando esta oportunidad perpetran cada día los ejercicios militares de gran escala en el Este y el Oeste de Corea. Así echa agua fría al fervor de la nación por la reunificación y lleva al estado pésimo las relaciones del Norte-Sur.
Por ello, en la Península Coreana y la región del Noreste se ha creado una situación severa que nadie sabe cuándo se provocará la “segunda guerra coreana”.
Todo esto se debe totalmente a EE.UU. que ocupó militarmente al Sur de Corea después de la liberación del 15 de agosto y pretende la división territorial y la confrontación entre los connacionales.
EE.UU. debe asumir su responsabilidad de todas desgracias y penas sufridas de la nación coreana durante 65 años, cesar inmediatamente sus maniobras de provocación de una nueva guerra e incitar el desarrollo de las relaciones del N-S y la reunificación de Corea.
Este año cumple el 65º aniversario de la ocupación de EE.UU. al Sur de Corea, el 60º del estallido de la guerra coreana, el 30º de la presentación de de la fundación de la República Federal Democrática de Coryo, el 10º de la publicación de la Declaración Conjunta del 15 de junio.
Nosotros estamos seguros de que Vds. amantes de la paz y la justicia, seguirán su invariable apoyo y solidaridad a la justa causa del pueblo coreano por la eliminación de la causa de guerra y la reunificación independiente y pacífica de la patria.
De Vds., atentamente.

El Comité Coreano por la Solidaridad con los Pueblos del Mundo